Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Valchromat

Depende do tipo de utilização. Quando utilizado como mobiliário, tem a duração idêntica a qualquer mobiliário.
Devido à resina utilizada o painel tem uma maior compacidade que é homogénea em toda a espessura, conferindo-lhe uma melhor capacidade de ser maquinado/fresado sem se desfazer. Quando envernizado praticamente não faz repelo.
A Valbopan apenas fabrica os painéis, nas medidas indicadas na ficha técnica.
Não. A Valbopan fornece os painéis sem acabamento.
Não. Os topos ao serem acabados da mesma forma que as superfícies, ficam com o mesmo aspeto destas.
O painel pode ser acabamento com ceras, óleos ou verniz.
Em zonas húmidas o único acabamento que confere durabilidade é um verniz.
Qualquer verniz adequado para madeira pode ser utilizado em Valchromat. Os vernizes acrílicos ou de poliuretano alifático são preferenciais aos de poliuretano dado que não amarelecem com a exposição solar.
Sim, aproximamos a qualquer cor. Mas é sempre sujeito a uma consulta prévia, mediante quantidades.
O painel Valchromat é da classe de formaldeído E1, de acordo com a legislação Europeia, EN 13986:2004+A1:2015

Viroc

Não, na Europa de acordo com a Diretiva 2003/18/CE, o amianto foi proibido em 2005.
Em aplicações interiores as juntas podem ser seladas com um mástique de poliuretano.
Não recomendamos que as juntas em painéis de fachada sejam seladas.
A durabilidade expectável de uma fachada ventilada construída com painéis Viroc é a de uma parede construída de forma tradicional, normalmente consideram-se 50 anos.
A grande maioria das patologias que ocorre são cantos e bordos partidos, devidas à má instalação dos painéis. A sua fixação tem de permitir o dilatar e encolher do painel devido as variações de temperatura e humidade.
Sim, recomendamos que o painel seja aplicado sobre uma estrutura de madeira ou metal como se de uma folha de revestimento se tratasse.
O cimento constituinte dos painéis contem sais de cálcio, pelo que durante as reações de hidratação do cimento são produzidos sais que surgem à superfície (eflorescências primárias). Após aplicação do painel no exterior devido ao contacto com a água das chuvas, se o painel não estiver envernizado podem surgir migração de sais à superfície (eflorescências secundárias). Em climas húmidos e frios é mais frequente.
Apesar do painel ter alguma flexibilidade não recomendamos que seja aplicado com curvatura. Recomendamos que as superfícies curvas sejam revestidas por pequenos troços retos.
A densidade do painel é de 1350 ± 100 Kg por m3, pelo que um painel de 10 mm de espessura pesa 13.5 Kg/m2.
Não existem tintas e vernizes específicos para serem aplicados em Viroc. O painel tem uma alcalinidade superficial (PH) de 11 a 13, pelo que normalmente as tintas e vernizes adequados para superfícies de betão e madeira em simultâneo, são os que têm melhor comportamento quando aplicados sobre o painel Viroc. As tintas e vernizes de resinas acrílicas ou poliuretanos alifáticos de base solvente são os que têm demonstrados melhor desempenho. Os vernizes de resinas acrílicas e poliuretanos alifáticos de base aquosa são os que menos alteram a cor original do painel.
Uma velatura é um verniz colorido que não confere opacidade. Se a velatura for adequada para a superfície do painel Viroc, referida na pergunta anterior, pode ser utilizado.
Os discos recomendados são discos circulares com cortantes em metal duro de tungsténio. A utilização de disco com cortantes de diamante só é recomendado em serras de bancada.
O Corte a jacto de água é possível e fica como se tivesse sido realizado com uma serra. O corte a laser é possível, mas as arestas cortadas ficam com aspeto de queimado, na cor negra.
Não, as furações são feitas pelo aplicador.
Sim existem aplicadores que tem vindo a desenvolver trabalhos em Viroc com muita qualidade.
Podemos utilizar o painel Viroc como suporte de uma cobertura que irá ser revestida. Não recomendamos Viroc como material de revestimento de uma cobertura. Em superfícies planas ou quase planas, devido à maior exposição solar e ao empoçamento de águas, os ciclos de seco-molhado criam uma micro-fissuração que surge em alguns painéis.

Newsletter